Esse projeto foi um grande desafio!

Nosso cliente enviou apenas algumas fotos de uma CVO 2018 que tinha visto nos EUA e era o desejo de consumo dele. Porém, como o modelo não vinha para o Brasil, ele nos procurou para ver a viabilidade de converter uma Ultra para o modelo desejado.

Como ele já é proprietário de uma Ultra CVO 2014, conhece bem quais são os itens que realmente interessam dos modelos CVO. Sendo assim, montamos um projeto em cima de uma Ultra Limited comum que, com os upgrades definidos, acabou ficando melhor que a CVO original, com um projeto inteiro personalizado e um investimento menor do que se nosso cliente fosse comprar uma CVO zero.

Como referência para montar o projeto, contávamos apenas com as fotos e o vídeo abaixo, e nada mais. Este foi um dos nossos maiores desafios: conseguir chegar o mais próximo possível da cor do modelo original, sem ter nenhuma peça base para comparação. Além, é claro, da confecção do banco, emblemas, e vários outros itens que foram todos reproduzidos apenas com base em imagens.

Conversão Ultra limited 2017 em uma Ultra CVO Black Earth Fade 2018

Definidos os pontos mais importantes, nosso cliente comprou a moto e, para nossa surpresa, enviou de guincho para a Garage Henn, direto da concessionária. Ele nem ao menos deu uma olhadinha nela original rsrs

O modelo que recebemos:

                                 

 

Iniciamos a desmontagem completa da moto para pintura do kit ( tanque, morcegão, para-lamas e bolsas) e de toda as peças cromadas.

Já desmontada a frente, aproveitamos para fazer a revisão da frente para deixar a moto com a caixa de direção lubrificada e a suspensão com o fluido adequado.

Os três grandes desafios deste projeto foram:

1 – Encontrar as medidas do emblema, pois não é permitido compra-los, a não ser para proprietários do modelo CVO em questão, nos EUA;

2 – Chegar aos tons das cores, visto que não é uma tinta de catálogo e a moto não existia no Brasil, nossa referencia era somente pelas fotos;

3 – Saber exatamente onde eram as faixas de transição do degradê das cores, pois em algumas fotos, por causa da luminosidade, pareciam ser em locais diferentes.

Para os emblemas, a solução foi fazer algumas contas, comparando fotos e imprimindo protótipos até chegar na proporção mais próxima.

Depois de muitos testes e comparações, com e sem a luz do sol, finalmente chegamos nos tons das cores corretas. Para referência, usamos uma moto do mesmo modelo, na cor vermelha, que é a cor que apresenta mais nitidez nas transições e nos permite ter um bom parâmetro para comparar.

 

 

 

 

 

 

 

Logo após, recebemos as peças pretas da pintura eletrostática, alguns detalhes do motor e as pinças de freio em vermelho. Vamos começar a montar!

Recebemos também as peças do kit (para-lamas, morcegão, tanque e bolsas) que foram pintados com tintas da House of Kollor, sinônimo de excelência no mundo da pintura automotiva.

Começamos o trabalho do banco e encosto,  com o desafio de chegar o mais próximo possível do modelo inspirado, trabalhando no banco original somente com algumas alterações, conforme o gosto do nosso cliente.

Enfim, recebemos o filtro de ar da Screamin Eagle e ponteiras Vance & Hines escolhidas pelo cliente para conseguirmos finalizar a montagem deste “lego para adultos”.

                    

Enquanto aguardávamos a finalização da produção dos emblemas e a chegada de algumas peças, como a iluminação fumê, levamos a moto para o Dinamômetro e iniciamos o amaciamento do motor e o remapeamento do sistema de injeção eletrônica. Deixamos o Stage 2 desta moto afinado e com um resultado muito acima de uma 117 original, mesmo mantendo o motor 107. O dono entrou para o ranking dos 100 HP Club antes mesmo de ter rodado com a moto!

                          

Os emblemas ficaram prontos na usinagem. A partir daí, fizemos os processos de calandra, para acertar as curvaturas do tanque e, em seguida, a pintura eletrostática em vermelho, para ficar exatamente no mesmo tom das outras peças vermelhas da moto. Depois, fizemos a pintura da frente em preto, dando um efeito único na peça.

Concluída esta etapa, fizemos algumas fotos do resultado parcial de como ficou a moto. Digo parcial, pois, alguns meses depois, ainda fizemos mais algumas instalações finais para compor o projeto: o Stage 2 de som e o kit de acabamento das pedaleiras, manoplas e pedais da linha Black Kineckt, da Kuryakyn.

 

Agora, confiram como foi a instalação do Stage 2 de som e dos acabamentos e vejam como ficou o projeto final.

Desmontamos toda a elétrica para instalação dos dois módulos de potencia no sistema de som e dos quatro alto falantes novos que compõe o kit de Stage 2 de som. Ele faz com que a potencia do som vá de 25 watts  para 150 watts por canal, trazendo um som potente e de extrema qualidade, acima do Stage 1 de som da CVO original.

 

 

Junto a esse upgrade de som, fizemos a instalação do sistema 2OS EVO Bluetooth, para os novos comunicadores sem fio, além da customização dos painéis de instrumentos, fazendo a iluminação em vermelho.

 

 

 

Por último, instalamos o kit de acabamento de pedaleiras e pedais da linha Kinect, da Kuryakyn.

 

 

Vejam o resultado final deste projeto que transformou uma Ultra Limited em uma Ultra CVO Black Earth Fade: